Notícias

QUERCUS ALERTA QUE UM QUARTO DOS MUNICIPIOS NÃO TEM PLANO CONTRA INCÊNDIOS

Escrito por em 2017-08-22 13:04:34

QUERCUS ALERTA QUE UM QUARTO DOS MUNICIPIOS NÃO TEM PLANO CONTRA INCÊNDIOS

Mais de um quarto dos municípios não tem um plano municipal contra incêndios.

O alerta foi lançado esta semana pela associação ambientalista Quercus.

“A Quercus considera em comunicado muito preocupante que um quarto dos municípios de Portugal Continental não cumpra as suas obrigações no âmbito da legislação de defesa da floresta contra incêndios”.

A associação esclareceu que a existência desses planos implica “um planeamento e calendarização de acções de silvicultura preventiva”, designadamente limpezas, “com o objectivo de evitar que os fogos atinjam grandes proporções e o de proteger eficazmente pessoas e bens”.

De acordo com a Quercus, “na lista dos 72 municípios que não estão a cumprir a legislação estão alguns que este Verão ficaram bem conhecidos pelas piores razões, como Alijó, Fundão, Vila de Rei, Castanheira de Pêra e Pedrógão Grande”.

Ainda segundo a associação ambientalista, existem somente três distritos do continente nos quais 100% dos municípios têm o seu Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios em vigor e operacional: Viseu, Guarda e Portalegre.

“A legislação não prevê nenhuma penalidade para os municípios que não cumprem esta obrigação legal, para além de não poderem ter acesso a fundos comunitários destinados à prevenção de incêndios e protecção da floresta”.

A Quercus assinala ainda que, embora a legislação determine que os Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios aprovados e em vigor devem estar disponíveis para todos na página de internet do Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), “isto não acontece”.

A Associação Nacional de Conservação da Natureza “considera fundamental, e do mais elementar direito, que estes Planos possam ser consultados por todos os cidadãos interessados, para que possam verificar rapidamente e inequivocamente, se estão a ser feitas as obrigatórias reduções de combustíveis junto a estradas, casas e povoações”.

“Deste modo, os cidadãos poderão alertar atempadamente as autoridades competentes para eventuais situações de incumprimento e ter um papel activo na defesa das suas vidas e dos seus bens”, remata a ONG.

Os municípios de Alijó e do Fundão contestam alerta da Quercus, que aponta para 72 municípios sem Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios.

Em declarações à Renascença, o vice-presidente da Câmara de Alijó, José Paredes, fala em “notícia enganosa” e olha para esta informação da associação ambientalista com estranheza.

 

“Alijó tem aprovado um plano municipal de defesa da floresta contra incêndios. Esses planos são válidos por cinco anos. Foi revisto e actualizado em finais de Dezembro de 2014 e foi remetido ao Instituto da Conservação da Natureza e Florestas um parecer positivo, no dia 30 de Dezembro de 2014. Até à data, suponho porque estavam à espera de uma alteração legislativa ao decreto de lei 124, que dá corpo a este plano, não comunicaram ao município de Alijó nem a sua aprovação nem a sua desaprovação”, explica José Paredes.

A autarquia diz ter recebido informação de aprovação do plano de forma oficiosa e aguarda a informação oficial do Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), que tem competência para publicar o plano.

“O assunto está nas mãos do ICNF, que é um organismo do Estado. O ICNF que responda, porque não aprovou ou não comunicou oficiosamente essa decisão ao município. Nós temos um plano de 2009 e um plano revisto e actualizado em 2014, que está para aprovação do ICNF.”

A Renascença levantou já esta e outras questões junto do Instituto da Conservação da Natureza e Florestas e aguarda uma resposta.

José Paredes, que também é vereador da protecção civil da Câmara de Alijó, sublinha que o plano tem sido colocado em prática e tem sido feito investimento “muito significativo” na prevenção. “O resultado está à vista”, afirma.

O vice-presidente da Câmara do Fundão, Miguel Gavinhos, garante que também esta autarquia tem este e outros planos activos e no terreno.

“O plano de defesa da floresta contra incêndios foi aprovado no dia 12 de Janeiro, numa primeira reunião da comissão de protecção civil, e ratificado numa reunião da mesma comissão a 12 de Abril”, esclarece o autarca.

Também aqui a prevenção dos incêndios tem sido uma prioridade. “O município do Fundão, nestes últimos dois anos, teve um investimento superior a um milhão de euros nestas áreas. Foi um esforço muito grande para o município do Fundão, que se considera exemplar no que toca à prevenção e riscos de incêndio florestal”, afirma Miguel Gavinhos.

 

Voltar para a página de notícias

“MISTÉRIOS DA PÁSCOA” candidatos ao selo Boas Práticas da UNESCO

Facebook

Escrito por RCM em 2018-02-20 18:33:34

“MISTÉRIOS DA PÁSCOA” candidatos ao selo Boas Práticas da UNESCO

A Câmara de Idanha-a-Nova apresentou hoje os 'Mistérios da Páscoa', manifestações de religiosidade popular ligadas ao ciclo quaresmal, cuja formalização já seguiu para inclusão na lista das melhores práticas da UNESCO.   "Este conjunto de 272 manifestações de religiosidade popular que acontecem em 90 dias integram a primeira candidatura que Portugal faz com esta classificação à UNESCO", afirmou o presidente da Câmara de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto.   Idanha-a-Nova reúne um conjunto de práticas e de expressões religiosas no ciclo da Páscoa, que contempla 272 manifestações de religiosidade diferentes nas 17 freguesias do concelho e que decorrem durante cerca de 90 dias, desde a quarta-feira de cinzas ao domingo de Pentecostes.   O autarca sublinhou que a formalização do pedido de inscrição dos 'Mistérios da Páscoa' em Idanha na lista das melhores práticas da UNESCO é um processo de todos os idanhenses que ao longo dos anos têm sabido preservar e transmitir estas tradições populares.   No nosso concelho nada é feito só para aquele dia ou para teatralizar. São vivências de um povo", explica o autor da recolha e calendarização da agenda dos 'Mistérios da Páscoa', António Catana.   Já o pároco da vila, Adelino Lourenço, disse que é preciso perceber e escutar de onde vêm estas tradições. "Quem sabe são os homens e as mulheres que durante anos viveram essas tradições. E quem as quiser perceber tem que perder muito tempo a ouvir as pessoas", disse. Pároco em Idanha-a-Nova há 45 anos, Adelino Lourenço alertou para o perigo destas tradições de religiosidade popular se perderem e adiantou que uma vez que os idanhenses têm tido muito valor em segurar e diagnosticar as suas tradições, a hora é de "falar alto". "Nós, idanhenses, temos que ter muito cuidado na forma como tratamos as nossas tradições. O que há é a fé de um povo e é preciso tratá-la com muito respeito", concluiu.  

Ler mais

APRESENTAÇÃO DO LIVRO DO PRESIDENTE RAMALHO EANES

Facebook

Escrito por RCM em 2018-02-15 12:32:38

APRESENTAÇÃO DO LIVRO DO PRESIDENTE RAMALHO EANES

Tem lugar no dia 25 de Fevereiro, Domingo, pelas 16 horas a apresentação do livro: António Ramalho Eanes, do jornalista Nelson Mingacho, no Museu Etnográfico da Lousa.   A sessão, que tem o apoio da União de Freguesias de Escalos de Cima e Lousa e da Associação Cultural e Etnográfica da Lousa - Lousarte, contará com a presença do jornalista Nelson Mingacho, autor da Biografia do General Ramalho Eanes, que inicia a colecção Em Nome da Beira – Biografias, na editora Alma Azul.  

Ler mais

DIA MUNDIAL DA RÁDIO

Facebook

Escrito por RCM em 2018-02-13 16:17:32

DIA MUNDIAL DA RÁDIO

O ano de 2018 será marcado por grandes eventos desportivos que têm a capacidade de unir corações e mentes de pessoas de todo o mundo. Levando isso em consideração, o tema para o Dia Mundial da Rádio 2018, lembrado em 13 de Fevereiro, é “Rádio e desportos”. O Dia Mundial da Rádio é uma oportunidade anual de celebrar a rádio e a maneira como ela contribui com o debate democrático por meio de informação, entretenimento e interacção com o público. Desde 2012 que é comemorado oficialmente o 13 de Fevereiro como Dia Mundial da Rádio. A data escolhida pela UNESCO para a comemoração coincide com o dia em que em 1946 a Radio ONU foi estabelecida numa resolução das Nações Unidas.  Começou a transmitir desde a sede na Nações Unidas em Nova Iorque, em onda curta para o resto do mundo. Noticiários e programas com cinco línguas oficiais da ONU - Chinês, Inglês, Francês, Russo e Espanhol - durante 9 a 12 horas por dia. Em comunicado, o secretário-geral da ONU, António Guterres, lembrou que a rádio é o meio de comunicação social com maior audiência no mundo. “Numa era de grandes avanços tecnológicos, a rádio mantém o seu poder de comunicação, de entretenimento, de educação, de informação e de inspiração”, disse. “A rádio é um factor de união e de reforço de comunidades de distinta natureza; e dá voz aos mais vulneráveis e marginalizados”, declarou. 

Ler mais

CANDIDATURA DOS MISTÉRIOS DA PÁSCOA EM IDANHA ENTREGUE NA UNESCO

Facebook

Escrito por RCM em 2018-02-07 16:48:56

CANDIDATURA DOS MISTÉRIOS DA PÁSCOA EM IDANHA ENTREGUE NA UNESCO

A Câmara Municipal de Idanha-a-Nova formalizou o pedido de inscrição dos Mistérios da Páscoa em Idanha na lista das melhores práticas da UNESCO. O dossier de candidatura foi entregue esta terça-feira (6 de Fevereiro) junto da Comissão Nacional da UNESCO. Manifestações de religiosidade popular ligadas ao ciclo quaresmal e pascal, os Mistérios da Páscoa são um excelente exemplo das melhores práticas de salvaguarda do património cultural imaterial do concelho de Idanha-a-Nova. O Presidente da Câmara de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, explica que a sustentar este projecto “estão 250 manifestações de piedade popular que se desenrolam ao longo de 90 dias em todo o concelho, desde a Quarta-Feira de Cinzas ao Domingo de Pentecostes, as quais se traduzem numa grande riqueza cultural. Com esta candidatura, a Câmara Municipal de Idanha-a-Nova pretende reforçar os processos de salvaguarda, promoção e valorização dos Mistérios da Páscoa em Idanha, ao mesmo tempo que preserva a história e a memória da população.

Ler mais

Concorrente da Áustria ao Festival Eurovisão da Canção 2018 mostra postal de Monsanto-Portugal

Facebook

Escrito por RCM em 2018-02-07 14:06:11

Concorrente da Áustria ao Festival Eurovisão da Canção 2018 mostra postal de Monsanto-Portugal

Como é já habitual no Festival Eurovisão da Canção, cada um dos artistas participantes no concurso protagoniza um postal, um pequeno vídeo habitualmente transmitido antes da sua actuação, à medida que o palco é preparado para a canção seguinte. Este ano, em que o Festival Eurovisão da Canção se realiza pela primeira vez em Portugal, os postais dos países a concurso serão gravados em Portugal, e irão mostrar algumas das melhores paisagens nacionais, sob o conceito “Welcome to Portugal!”. Cesar Sampson, o artista escolhido este ano pela Áustria para representar o país no concurso musical, foi o primeiro a gravar o seu postal em Portugal e passou os últimos dias em filmagens na aldeia histórica de Monsanto, no município de Idanha-a-Nova. Monsanto é uma aldeia histórica de um encanto singular, que manteve a sua autenticidade ao longo do tempo. Para a sua peculiaridade contribuem dois títulos que lhe foram atribuídos no séc. XX – Aldeia Mais Portuguesa de Portugal, em 1938, e o de Aldeia Histórica em 1995. Ícone turístico da região, Monsanto distingue-se pelas suas características casas em granito e pelo imponente castelo medieval. Para a gravação deste postal da Áustria, um dos cenários escolhidos foi o castelo, um local que nos leva numa autêntica viagem no tempo. Depois de transpor as suas muralhas, uma paisagem surpreendente aguarda por Cesar Sampson e a aldeia enche-se de adrenalina para uma viagem de BTT pela colina abaixo, entre a natureza e os edifícios históricos da aldeia.

Ler mais

Mais Notícias

© Rádio Clube de Monsanto 2018 | 98.7 e 107.8 FM | CSB 652 / RDS

Amigos da RCM | Discos Pedidos | Programação | Contactos | Opiniões | Livro de Visitas | Compras On-Line