Notícias

PENAMACOR: LINCE DA MALCATA É PROTAGONISTA NO MUSEU MUNICIPAL

Escrito por Lusa / RCM em 2010-10-06 14:34:05

PENAMACOR: LINCE DA MALCATA É  PROTAGONISTA NO MUSEU MUNICIPAL

O lince da Serra da Malcata é o protagonista principal da exposição "Quadros da Fauna Local", que pode ser vista em permanência no Museu Municipal de Penamacor.
Este é um dos animais embalsamados que integra há vários anos a colecção do museu e que agora tem um novo espaço de exposição.
Joaquim Nabais, técnico do gabinete cultural da Câmara Municipal de Penamacor, lembrou-se de "retirar a passarada da vitrina", encontrado novo poiso numa das salas que acolhia parte da colecção de alfaias e outros instrumentos ligados à vida rural.
A falta de espaço no museu foi ultrapassada com a instalação de troncos e ramos de árvore suspensos no tecto, que servem agora de montra às aves.
Na base desta "vivem" agora os mamíferos, como o lobo, o furão ou a raposa.
Há ainda montras onde se encontram o lince ibérico, a lontra, o coelho ou a perdiz, que surgem enquadrados pelas paisagens naturais do concelho.
Ilídia Cruchinho, vereadora com o pelouro da Cultura em Penamacor, disse à agência Lusa que o museu tinha exemplares "interessantes e que caracterizavam bem toda esta região", razão pela qual mereciam um espaço mais cuidado, de forma a chamar a atenção dos visitantes.
O Museu Municipal de Penamacor sofre há vários anos de falta de espaço, problema cuja resolução esteve dependente, em parte, da mudança da vizinha tesouraria e repartição de finanças para outro local, o que aconteceu em 2009.
"A ampliação do museu, no que diz respeito ao espaço, não é problema, mas estes projectos precisam de financiamento. Não é só abrir uma porta ou duas e fazer uma ligação", explicou Ilídia Cruchinho.
A vereadora acrescentou que o projecto para a ampliação existe, mas ainda não foi conseguido o financiamento.
O Museu Municipal de Penamacor foi criado em 1949 e encontra-se instalado desde 1982 na antiga Companhia Disciplinar de Penamacor, onde Álvaro Cunhal chegou a estar detido durante o Estado Novo.
Em 2009 recebeu cerca de seis mil visitantes, segundo dados da autarquia.

Voltar para a página inicial